International Democracy

International Democracy

Nove de Julho e o Desarmamento Civil

Em 23 de maio de 1932, quatro jovens paulistas foram mortos por tropas do ditador Getúlio Vargas, fato onde – alguns dias depois, em 9 de Julho, iniciou-se a Revolução Constitucionalista, também conhecida apenas como “Revolução de 32”.

A Polícia Paulista da época era uma Força Militar completa, equipada até mesmo com Aviação de Guerra. A isso se somaram civis alistados voluntariamente (os quais tinham em suas casas armas de todos os tipos e calibres da época). Estes civis, bem armados, acompanhados das Forças Policiais, enfrentaram a ditadura requerendo uma Constituição Federal e um sistema de três poderes (executivo, judiciário e legislativo).

Fomos vencidos militarmente, mas foi convocada uma Assembleia Constituinte que, em 1934, originou uma Constituição Federal (jamais cumprida de fato).

Aceitar o desarmamento civil é cuspir nos túmulos de Martins, Miragaia, Drauzio, Camargo e Alvarenga (último falecido em razão do mesmo evento dos outros quatro heróis).

Nós todos vivemos conduzidos e guiados por PROPAGANDA – não aqueles comerciais que vemos nas televisões e revistas, mas a VERDEIRA PROPAGANDA – aquela que consta no dicionário de todas as línguas que conheço com a mesma redação e que teve seu maior expoente em Goebbels baseada em criação e manipulação da massa através de formação de opiniões e divulgação de MENTIRAS.

Todo desarmamento civil precede o estabelecimento de uma ditadura. Toda ditadura que desarmou seus Cidadãos mata Cidadãos. Não há exceção para essa regra – a única coisa que muda é o número de óbitos.

Assustado com a Revolução de 32, o ditador Getúlio Vargas criou o “R-105”, regulamento de produtos controlados pelo Exército Brasileiro, o que transformou o Brasil no único país do mundo onde as armas de civis são controladas pelo Exército.

Mas nem mesmo Getúlio Vargas conseguiu emplacar uma Lei que criminalizasse a posse e o porte de armas de fogo. Contudo, o que o ditador fascista não pensou, foi implementado em 1997 pelo comunista-marxista chamado FHC. Mais tarde o Lula despejou dinheiro nas mãos de corruptos; e com isso conseguiu o Estatuto do Desarmamento.

O Presidente Jair Messias Bolsonaro disse que “povo armado jamais será escravizado. Comprem suas armas”. Com 27 anos de experiência só no cargo de Deputado Federal, ele sabia que a implantação de um governo explicitamente comunista no Brasil apenas seria plenamente viável mediante o total desarmamento da população civil.

Ele, pessoalmente, atrasou em pelo menos quatro anos a implantação do regime; ou quase isso, porque antes mesmo dele terminar seu mandato como Presidente, o STF já estava se impondo como o único poder absoluto no Brasil. Naquele momento já estavam sendo realizadas prisões de Deputados Federais pelo uso da palavra; e o STF também anulou todas as partes essenciais dos decretos de Bolsonaro que regulamentavam o Estatuto do Desarmamento – situação na qual esse mesmo STF violou prerrogativas absolutas do Congresso Nacional.

Sabemos que a ditadura tentará forçar os Brasileiros a entregarem as suas armas. Muitos que já sabiam disso jamais recadastraram as suas armas quando nasceu o SINARM, das mãos do famigerado FHC. Os governantes irão se utilizar de todos os métodos possíveis e imagináveis – prisões, cassação de passaportes e de carteiras de motorista, inscrição no CADIN; e até mesmo prisão de civis.

O maior ato de desobediência civil da história do nosso País foi quando o Cidadão comum, depois ter demonstrado sua força no Referendo de 2005, não entregou suas armas para o governo. De lá para cá, os comunistas se desenvolveram, e muito, na arte de criar meios coercitivos.

Mas ainda existe, no espírito do brasileiro, a semente do MMDC – aquela semente do inconformismo e da revolta contra as imposições ditatoriais. E a determinação de se lutar contra o desarmamento civil é ponto central na resistência contra a final e completa implantação do regime comunista – desde que quem esteja com as armas saiba para o que elas servem.

Direitos e liberdades civis são bens preciosos demais para sermos levianos com eles. Brasileiros tombaram perdendo suas vidas na defesa dos direitos que hoje estão sendo violados.

É importante saber que eles são carne e osso como nós. Eles, os governantes, têm medo; e por isso querem nos desarmar. Getúlio Vargas sabia que a ditadura só não foi derrubada por mera questão de sorte. Toda vez que alguém falar em tomar as suas armas, pense apenas no Dino dentro do seu gabinete, cagando nas calças ao assistir a multidão à sua frente. Isto é democracia.

Share this post :

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Create a new perspective on life

Your Ads Here (365 x 270 area)
Latest News
Categories

Subscribe our newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.